“O novo cidadão é responsabilidade nossa”

Formação

Formação Gpvernação Participativa

Edite Etumbo Martins é professora há 20 anos e participante das formações com base na metodologia Training for Transformation (Educação para a Transformação), que o Mosaiko tem facilitado no município da Jamba Mineira, na Huíla.

Após ter participado nas formações sobre Género e Desenvolvimento (I Módulo), Literacia Orçamental e Análise Económico-social (II Módulo) e Género e Lideranças Partilhadas (III Módulo), Edite Martins revelou ter mudado de consciência sobre as realidades sociais da sua comunidade, intervindo em diferentes situações da vizinhança e na escola onde trabalha.

No Bairro Operário, onde mora, o saneamento básico é a sua maior preocupação. Por isso, tem estado a reunir com as crianças e jovens, para levá-los a assumir comportamentos de respeito pelo bem comum, como por exemplo, não deitar o lixo para o chão.

Ciente de que sozinha não alcançará grande impacto, Edite decidiu envolver o soba local para juntos realizarem reuniões e palestras com os moradores do Bairro sobre o tratamento que se deve dar ao lixo.

A munícipe da Jamba Mineira, de 48 anos, acredita que “o novo cidadão é responsabilidade nossa”, por isso foca a sua intervenção na comunidade e no trabalho com os mais novos: crianças, adolescentes e jovens.

No Colégio 943, a professora levou as metodologias de Educação para a Transformação para as salas de aula. Como conta, por exemplo, com os alunos da 9ª classe, usou no ano passado a dinâmica dos dedos: pediu aos estudantes que desenhassem as suas mãos numa folha e que em cada dedo desenhado pusessem as coisas/acções boas que já fizeram com as suas mãos ou que acreditam ser os seus talentos. A professora pretendia que os alunos percebessem que podem fazer muito para si e em favor dos outros com as mãos que têm.

Já os grupos de alunos identificados por “indisciplinados”, que são levados para sessões de consciencialização que, segundo a professora, eram mais repressivas, mas depois de aprender as metodologias participativas, tem vindo a envolvê-los em actividades de construção de personalidades aceites pela sociedade.

 “Hoje estes alunos tornaram-se mais responsáveis, desenvolveram mais o sentido de responsabilidade em relação à vida e à sua formação académica”, revelou a professora, que testemunhou que implementar esta metodologia é “às vezes, uma tarefa difícil: exige paciência, coragem, muita força e sacrifício”.

Sobre a formação

Entre 9 e 12 de Março, o Mosaiko facilitou o IV Módulo de Formação sobre Governação Participativa e Advocacia, na Jamba Mineira.

Para a Edite Martins, este módulo é mais um passo nesta caminhada de transformação pessoal e social, reconhecendo que “as informações que estas formações nos trazem reforçam o nosso potencial, no sentido de ter mais métodos a aplicar para que se possa ajudar no melhoramento da consciência dos novos cidadãos que queremos formar”.

Restam mais dois módulos este ano, para fechar o ciclo de formações de Educação para a Transformação, que faz parte do Projecto Promoção da Advocacia de Políticas Públicas Inclusivas em Angola, implementado pelo Mosaiko, em parceria com a Fundação Fé e Cooperação, e o apoio da União Europeia.

Foto de encerramento do IV Módulo de Formação de Educação para a Transformação

Juntos por uma Angola melhor!

Artigos relacionados
Deixar um comentário

Arquivo
Construindo Cidadania 691 – Ilícito de mera ordenação social, transgressões administrativas e infracção de trânsito