Grupos Locais empenhados no desenvolvimento das comunidades

Educação

Aprendendo Juntos 2019

Um total de 29 de membros de Grupos Locais de Direitos Humanos, provenientes de 16 municípios do país, participou na 7ª edição do “Encontro Nacional Aprendendo Juntos”, realizado pelo Mosaiko, em Luanda.

Em dois dias de actividade, os participantes partilharam as suas experiências locais de trabalho em Direitos Humanos, a contar desde o último Aprendendo Juntos, que aconteceu em Abril de 2018, edição em que foi eleito o Direito à Educação como prioridade de trabalho conjunto nas comunidades.

Entre as experiências de trabalho partilhadas, figuram as intervenções que o Núcleo de Direitos Humanos da Jamba Mineira fez naquele município da província da Huíla.

Venâncio Gaspar é membro da coordenação do Núcleo e contou que, no que concerne ao Direito à Educação, a sua associação começou a intervir através de uma pesquisa sobre os principais problemas ligados à educação no município.

O número de crianças fora do sistema de ensino e as dificuldades por que passam os estudantes para chegar à escola foram alguns dos motivos que impulsionaram os membros do Núcleo a conhecer mais a realidade das escolas e estudantes no município, para uma melhor intervenção nas comunidades e consequente contribuição para o seu desenvolvimento.

Entre os resultados desta pesquisa, que foi apresentada publicamente através da rádio pública do município da Jamba Mineira, destaca-se, segundo Venâncio Gaspar, a identificação de problemas como: As longas distâncias percorridas à pé pelos estudantes para assistirem às aulas (que podem chegar até 30 quilómetros); as crianças e adolescentes que por incentivo dos pais desistem da escola para cuidar da pastorícia e cultivar e outras razões de ordem cultural; os professores que abandonam as turmas porque a escola é distante da sua zona de residência;  a falta de registo civil; e o número insuficiente de instituições de ensino.

O também director pedagógico de uma escola pública primária disse que para resolver os problemas levantados na pesquisa, várias acções foram feitas, apesar das dificuldades. “O Núcleo de Direitos Humanos da Jamba Mineira realizou palestras em várias escolas com estudantes, professores e encarregados de educação e teve encontros com as autoridades tradicionais e governamentais do município”, referiu o delegado ao Encontro Nacional Aprendendo Juntos, para quem trabalhar com as comunidades Khoisan será o próximo desafio do grupo.

Grupo do Cuanza Norte atento às necessidades locais

Balbina Salvador, participante da 7ª edição do Aprendendo Juntos pela Comissão Mista de Direitos Humanos do Cuanza Norte, disse que os conhecimentos e instrumentos de trabalho partilhados durante os dois dias vão servir para melhorar a intervenção do seu grupo nas comunidades e avançou: “neste ano, não vamos apenas trabalhar sobre a educação, vamos também intervir noutros Direitos Humanos, em função das necessidades locais”.

Um espaço de formação

Além da partilha de experiências, os grupos, parceiros do Mosaiko na promoção e defesa dos Direitos Humanos nas diferentes localidades do país, participaram numa formação sobre a identidade, diagnóstico, estratégias, monitoria e avaliações institucionais, para melhorar a sua organização interna.

O facilitador da formação, Sérgio Calundungo, destacou a importância dos grupos locais nos diferentes municípios e defendeu o surgimento de mais associações e grupos similares a nível do país.

“Os membros destes grupos dão um pouco de si, em termos de tempo, conhecimento e vontade, para ajudar aqueles que mais sofrem”, sustentou acrescentando que estes grupos marcam a diferença por questionarem: “se a mudança não for feita por nós quem fará? E grupos assim são absolutamente necessários em toda parte do país”.

Sobre a actividade

A 7ª edição do Encontro Nacional Aprendendo Juntos aconteceu entre 4 e 5 de Outubro, na Casa das Irmãs Mercedárias de Viana, em Luanda, com o apoio da Embaixada do Reino dos Países Baixos, e participantes provenientes dos seguintes municípios: Cuango e Dundo (Lunda Norte); Quela (Malanje); Ondjiva (Cunene); Benguela, Cubal, Ganda e Balombo (Benguela); Jamba Mineira e Matala (Huíla); Gabela (Cunaza Sul); Cazenga (Luanda); Menongue (Cuando Cubango); Cazengo e Samba Caju (Cuanza Norte).

Juntos por uma Angola melhor!

Related Posts
Leave a Reply

Arquivo